5 truques para evitar a vigilância de Big Data
Tecnologia

5 truques para evitar a vigilância de Big Data

Big data está ao nosso redor, mesmo que você não perceba. Muitas empresas veem o big data como o ingrediente principal para o sucesso futuro porque, com mais informações, podem melhorar o desempenho e se preparar bem para novas tendências e práticas. O processo de coleta dessas informações, entretanto, tem sido criticado nos últimos anos. Não apenas as empresas veem valor na coleta de dados sobre você, mas os governos também. A vigilância agora se tornou uma prática comum, com grande parte dela sendo realizada por meio de nossas atividades online. Com a análise de big data, outras partes podem traçar um quadro quase perturbadoramente preciso de quem você é. Isso levou muitos a expressar suas preocupações sobre as violações de privacidade, até o ponto em que as pessoas estão procurando maneiras de evitar a vigilância de big data por completo. Se você deseja que suas informações permaneçam o mais privadas possível, aqui estão alguns hacks úteis que você pode implementar para melhorar sua privacidade pessoal.

1. Excluir cookies do navegador

Os navegadores da Internet podem rastrear todos os sites que você visita. Essas informações ajudam a estabelecer um perfil online sobre você, observando seus gostos e preferências particulares. A partir desses dados, as empresas podem oferecer negócios e anúncios feitos sob medida para você. Embora isso possa soar como um benefício, o fato é que terceiros ainda estão coletando informações sobre suas atividades, mesmo que você não aprove. É por isso que excluir seus cookies é uma maneira fácil de, pelo menos, tornar a vigilância mais difícil. E certifique-se de fazer isso várias vezes ao dia.

2. Cuidado com os aplicativos móveis

Nossos smartphones são cada vez mais usados ​​para acesso à Internet e uma forma de utilizar os dispositivos móveis é por meio dos aplicativos que baixamos. Infelizmente, muitos desses aplicativos coletam muitos dados, desde suas listas de contatos até suas fotos e informações de e-mail. O único ponto a seu favor é o fato de que você deve autorizar esse acesso se quiser baixar o aplicativo. Prestando muita atenção ao que um aplicativo pede, você pode evitar aqueles aplicativos que você acha que pedem demais.

3. Use tecnologias que aumentam a privacidade

Embora as tecnologias que aumentam a privacidade (ou PETs) possam parecer avançadas, elas podem ser bem simples. Vamos enfrentá-lo - você nunca pode bloquear totalmente a vigilância, mas pode evitar o acesso fácil aos monitores. É aí que entram os PETs. ​​Os PETs podem ser tão simples quanto um plug-in de navegador. Alguns deles funcionam bloqueando sites que rastreiam suas atividades. Normalmente, eles alertam por que estão bloqueando o site, para que você possa alterar seu comportamento na web no futuro.

4. Limite o uso de mídia social

Parece que muitas pessoas querem viver suas vidas por meio da mídia social. Embora seja uma boa maneira de manter contato com amigos e familiares enquanto compartilha o que está acontecendo em sua vida, entenda que tudo o que você posta nas redes sociais pode ser coletado e monitorado. Isso significa que cada imagem que você marca, cada atualização do Facebook que você escreve, cada tweet que você publica e cada evento em seu calendário podem ser vistos por praticamente qualquer pessoa. Para manter sua privacidade, você deve limitar o uso das mídias sociais. Isso não significa evitá-lo completamente, apenas que você deve reduzir ao mínimo as informações pessoais que compartilha.

5. Use redes privadas virtuais

Assim como os PETs, as redes privadas virtuais (VPNs) podem parecer complicadas, mas algumas podem ser usadas por aqueles que não entendem de tecnologia. Os mais básicos estão disponíveis gratuitamente e podem ser baixados como plug-ins e extensões do navegador. As VPNs funcionam como um servidor intermediário entre você e o site que está visitando. Portanto, se alguém estiver monitorando sua atividade, tudo o que verá é o servidor e não seu computador ou dispositivo. Isso protege você de monitoramento não autorizado e mantém sua identidade relativamente segura.

Deve-se observar mais uma vez que o bloqueio total da vigilância de big data não é possível, não com o tipo de recursos que os governos e as empresas privadas têm à sua disposição. Isso não significa que não haja medidas que você possa tomar para manter seus dados o mais privados possível. Os truques simples acima podem ajudar muito a se proteger de olhos e ouvidos indesejados.

Crédito da foto em destaque: Com Salud / Flickr via flickr.com